segunda-feira, 25 de abril de 2011

Alguns produtos (ditos como) perigosos

Circulou pelos e-mail e até postado em alguns blogs uma relação de produtos perigosos usados no nosso dia a dia.

Visando aparar umas arestas do que seja realmente o mais correto, a reescrevo (e acrescento uma certa ironia).

Uma das primeiras regras para um bom hoax: acrescente imagem que exagere o que você tratará.



Espuma de barbear


O butano (o conhecido gás de cozinha) citado, só existe nas espumas "em lata", pressurizada. Os cremes são sabões moles, a base de potássio (os duros, da roupa ao seu sabonete, passam pelos sabões de potássio). Qualquer vazamento mínimo na sua cozinha ou área de serviço produz umas dez vezes mais butano que a sua lata de espuma de barbear, com um detalhe: o butano é bastante inerte quimica e biologicamente. Frutas produzem eteno, muito mais tóxico. Não tema, mas não brinque com fogo nem fume enquanto fizer a barba, recomendo.




Uréia de diazolidinyl , alega-se que libera formaldeído, substância que pode causar dificuldades respiratórias. Na quantidade que existe numa lata de espuma de barbar grande, seria ainda muito menos que qualquer salão de cabelereiros usa para fórmulas de alisamento e outras. Já entrei em salões onde lacrimejei.

Recomendo: Diazolidinyl urea - Wiki (en)




Trietanolamina , é alegada como sendo "um importante ingrediente do gás mostarda, arma química criada durante a Segunda Guerra Mundial e que pode causar câncer". Pode ser um ingrediente de algo tóxico, como água é, basta ver qualquer solução de cianeto, sais arseniosos, ácidos, etc. Ela, ao contato, é bastante inofensiva e somente usada como uma base (uma substância alcalina) nas formulações, inclusive, diminuindo a irritação causada pelos sabões de sódio e potássio.



Parabeno , alegado como "enfraquecedor dos imitadores de estrogênio, presentes nas pílulas anticoncepcionais". É usado em taxas da ordem de menos de 1% (0,2 a 0,3% é algo usual e dificilmente é absorvido pela pele). Você, amigo do sexo masculino, corre mais risco comendo carne de vaca fêmea. Ou perigosíssimas ovelhas mortas quando estavam no cio.

Daí sugere-se: "Para ficar longe de todas essas toxinas, faça a barba com óleos orgânicos, como óleo de amêndoas, géis de barbear ou adote um visual lenhador e não faça a barba."

Quem raios disse que géis não possuem parabeno, sejam feitos de polímeros similares ao PVC e que óleos não recebam acréscimo de Propilparabeno, similar ao Metilparabeno, mas para meios oleosos/apolares?

Quem disse que óleos não contenham ácidos livres e produtos de oxidações diversos, que inclusive, não são também danosos na mesma escala dos inocentes sabões das espumas de barba?

Sempre seja cético quanto a HOAXs (ou semi-hoax, como parece ser este caso), e desejando na vida não ter contato jamais com algo perigoso, como enzimas cancerígenas do morango ou cáusticas do abacaxi, do morango ou do mamão, do terrível figo, ou gás sulfuroso das perigosíssimas cebolas, MATE-SE! (by Eli, amigo meu, biólogo).

Recomendo: Methylparaben - Wiki (en) / Propylparaben


Pós-barba


"Se você decidiu parar de fazer a barba, pule este tópico. Se não… jogue fora o seu pós-barba. Ele contém álcool, que seca a pele quando ela precisa de hidratação. Água fria é suficiente para fechar os poros após a raspagem dos pelos."

Se você cortou-se, acidentou-se ou foi baleado, FUJA DO HOSPITAL, pois lhe aplicarão soluções contendo mais álcool que seu pós barba, sem nenhum aditivo emoliente, sem nenhum atenuante da desidratação momentânea causa, inclusive, amigo, aditivado de um halogênio perigosíssimo, que é o iodo, corantes venenosos diversos e até a substância altamente corrosiva que é o peróxido de hidrogênio, e por sinal, NEM CLAREARÃO SEUS CABELOS DE BRINDE! Um risco!

Mas fugindo da cruel ironia: a quantidade de álcool presente num pós-barba, na sua mão, será de uns, digamos em 5 ml de produto, de no máximo uns 2 ml, e estará diluído em principalmente água, sendo incapaz de causar qualquer desidratação, e evaporando em pouco tempo. Além disso, o álcool, ainda que anidro e fortemente desidratante, não entrará em contato com suas células, e é incapaz de remover a gordura natural da pele, até porque volatiliza-se. Mais perigosos são os sabões/sabonete/detergentes, que realmente desengorduram a pele, pois dissolvem a gordura.

Uma perigosíssima fonte de desidratante, e ingerida!


Shampoo


"Para fazer espuma, o Lauriléter sulfato de sódio e seus derivados são bastante utilizados, que possui grandes chances de ser um causador de câncer. O shampoo também pode conter parabeno (o mesmo que está presente na espuma de barbear)."


No "mar de hidrocarboneto" que são os óleos de coco, de onde advém o lauril-éter sulfato de sódio e o de amônio (menos agressivo, próprio para xampus infantis pois não faz arder os olhos), a taxa de radical éter e radical sulfato é relativamente pequena, e a matéria prima é normalmente apresentada em solução aquosa de 30%, e esta diluída em água e emais matérias primas de uns 15 à 30%, dependendo do tipo e até preço do produto que você adquire no comércio. A pele e os cabelos, superficialmente, não são células vivas, e não absorve-se os "laurils" e mesmo o lauril sulfato, mais agressivo e usado nos detergentes, não apresenta qualquer estudo que apresente sequer absorção pelo humano (e inclusive, olhos e pele de coelhos) quanto mais, produção de câncer de pele ou mesmo olhos. Cuide mais do sol que você toma e lâmpadas fluorescentes produtoras de ultravioleta que você usa, e preocupe-se menos com produtos que são usados e conhecidos a quase um século, e ao que parece, apenas para contato por alguns minutos, em grande diluição, sob corrente de água, apenas com sua pele.

A fumaça dos motores diesel de sua cidade lhe coloca mais enxofre em contato com os olhos e os motores a álcool, mais aldeídos e éteres.

Lauril-éter sulfato de sódio.



Perfume


"A maioria dos perfumes e águas de colônia (femininos e masculinos) possuem diversos produtos químicos que podem afetar o esperma. Pois é, muitas marcas possuem petroquímicos, parabeno e ácido pthalic (sic) em sua fórmula, que podem afetar a quantidade e velocidade dos espermatozóides, além de causarem danos no seu DNA. Tenso."

Onde raios estas pessoas estão aplicando seus perfumes?

Já citamos o parabeno, e o ácido ftálico, na verdade, é modificado em determinados conservantes e fixadores de perfumes e não todos. Sempre experimente o perfume que pretende usar, e procure detectar reações alérgicas, pois as reações são diretas e claras. Eu, por exemplo, tenho reação forte à resorcina, um tipo de fenol, utilizado em determinados perfumes mais antigos, na parte de fixação.



Desconheço literatura que aponte que alguma das substâncias citadas altere DNA. Procure então, evitar o churrasco feito com chamas, de madeira e carvão ainda em combustão viva, pois produz benzopireno, um clássico até na história da descoberta dos cancerígenos. Não se preocupe com mililitros, no máximo, de uma solução diluída de alguns produtos, que por exemplo, citando novamente o ácido ftálico, que produz o "sal" ftalato, está presente abundantemente na sua camisa de poliéster e em todas as embalagens de PET (politereftalato de etileno).

Molécula de benzopireno intercalando-se num DNA em duplicação. Esta sim, uma substância carcinogênica.


Desodorante e antitranspirante


Método hoax de causar impacto: inicie com uma frase bombástica qualquer parágrafo.
"Costumam conter os seguintes ingredientes “do mal”:"

"Triclosano: antibactericida, ele deixa as bactérias mais resistentes e pode até mudar o sexo dos peixes (!)."

Primeiro, você não é um peixe. Você não muda de sexo, ainda mais com uma substância de uso superficial, tópico, e em pequeníssima quantidade.

Segundo, não tome antibióticos, pois estes também produzem resistência bacteriana.

Onde estão as falácias no espalhafato acima? Que pula-se o método, a taxa e o substrato onde as substâncias são aplicadas.

"Sais de alumínio: são uma neurotoxina que pode estar associada ao mal de Alzheimer (aquele da perda de memória, lembra?)."

Realmente eu temo sais de alumínio, e concordo com sua relação com o mal de Alzheimer, mas os motivos porque temo são exatamete no caráter agressivo da substância em contato com a pele e a associação do alumínio com o mal de Alzheimer passa pela ingestão de alumínio oriundo de panelas deste metal, e não da aplicação tópica de alumínio e seus sais.

"BHT: são menos utilizados na fabricação de desodorantes, mas muito perigosos. Estudos relacionam a substância ao surgimento de câncer, podem afetar o sistema nervoso e são classificados como “provavelmente tóxicos e prejudiciais” pela Lista de Sustâncias Domésticas do Departamento de Meio Ambiente do Canadá."

O di-terc-butil metil fenol (ou Butylated hydroxytoluene, BHT) é um antioxidante. Seu uso é muito mais pronunciado nos produtos com óleos, pelo seu caráter antioxidante. A questão de propriedades canceríginas gira em torno de seu uso alimentício, onde é banido em muitos países desde os anos 70. Nos usos tópicos, nada se aponta, e sua taxa nos produtos é bastante pequena.

Recomendo: Butylated hydroxytoluene - Controversy



"Nossos avós usavam talco nas axilas – e depois deste post, acho que vou aderir à prática."

Recomendo. Mas curiosamente, poderia ser associado à silicose, pois é um silicato mineral, e cá entre nós, os talcos de hoje são formulações contendo talco, e diversos produtos, e não propriamente o mineral talco.

Além disso, se um mineral por si fosse garantia de salubridade, o carvão mineral não seria cancerígeno em seus produtos de combustão, não causaria inúmeros problemas em sua mineração e o amianto seria completamente inofensivo.


Hidratante

"Possui mais de 30 substâncias que vêm do petróleo, contêm silicone e outros ingredientes malignos para você e para o planeta. Substitua por produtos orgânicos à base de manteira de karité ou use óleos naturais."

Nujol, o óleo mineral farmacêutico de alta pureza, é derivado de petróleo e tem até aplicação médica. Logo, ter derivados de petróleo, como o é a aspirina e inúmeros outros fármacos, não implica diretamente em ser um produto nocivo, nem para ingestão, nem para aplicação na pele.

Concordaria que óleo mineral não é o melhor para a hidratação da pele, ou como fonte de emoliência, pois as gorduras da pele não são hidrocarbonetos, e sim complexas moléculas de gordura, obviamente, animal.

Silicone não implica em nocividade, ainda mais em aplicação tópica. Mesmo no ambiente.

Se silício implicasse em nocividade ao ambiente, muito mais perigosa seria a imensa quantidade de sílica presente em toda a crosta terrestre. Como digo: acabemos com as pedras, duram bilhões de anos para se decompor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário